Buscar
  • Clay Gonçalves

Estou decidido. Vou comprar um imóvel! Será...?

No artigo passado, conversamos sobre a casa própria e eu expliquei o que, no meu ponto de vista, motiva os brasileiros a terem como meta de vida o imóvel próprio.

Precisamos agora falar de como evitar que esse sonho se transforme num grande pesadelo. Todo esse cenário da realidade brasileira que discuti no texto anterior tem um ator que não foi citado: o apelo comercial para que as pessoas comprem o seu imóvel sem o mínimo de planejamento e com a maior pressa, como se o mundo (e os imóveis à venda) fosse acabar depois daquela oferta imperdível...

O papel do vendedor é vender, mas o seu não é comprar só porque o vendedor precisa vender.


Você precisa analisar todas as variáveis que envolvem essa compra, inclusive e principalmente aquelas que o vendedor não te conta. Por isso eu vou trazer alguns pontos que devem ser observados na hora de tomar essa decisão. Vou te mostrar também as formas de adquirir um imóvel.


O que você deve observar além do preço do imóvel:

  1. Localização e estado do imóvel: a localização do seu imóvel certamente é um ponto importantíssimo, os arredores da sua casa tem uma dinâmica própria de preços. Verifique qual é o padrão do bairro em que você vai morar, o comércio local tende a ter seus preços nivelados ao estilo de vida daquela região, isso vai impactar o seu custo de vida. É importante você observar também se o imóvel vai precisar de reforma ou de algum tipo de manutenção, estime estes custos.

  2. Impostos e taxas: toda transação de compra de imóvel inclui impostos e taxas que são de responsabilidade do comprador, e geralmente esses custos não são baixos, correspondem a aproximadamente 5% do valor do imóvel. Você terá o custo de registro do imóvel e do ITBI (Imposto sobre transmissão de bens imóveis). Esses custos variam de Estado para Estado.

  3. Você precisa mobiliar e decorar seu lar, ao menos minimamente para se sentir em casa. É importante ter esse valor no seu orçamento.



E quais são as formas para adquirir esse imóvel?


  1. Comprar à vista: sem sombra de dúvidas essa é a melhor forma, pois pagando o imóvel à vista você não terá juros de financiamento e nem carregará uma dívida. Além disso, quem tem dinheiro tem poder de negociação. Com dinheiro disponível para a compra de um imóvel você pode olhar também para o mercado de leilões. Existem particularidades em compras deste tipo de imóveis, mas costumam ser oportunidades interessantes.

  2. Comprar através de financiamento imobiliário: através do crédito imobiliário você pode comprar o seu imóvel antes de ter o dinheiro, mas você paga por isso os conhecidos juros. No momento em que escrevo esse texto, as taxas de juros dos bancos mais conhecidos em financiamento de imóveis estão variando de 7,3% ao ano a 9,75% ao ano. Para comprar um imóvel financiado você deve fazer um estudo aprofundado com muitas variáveis, como a sua estabilidade e fontes de renda, momento de vida, outros planos de médio e longo prazo para você e sua família. Cada pessoa tem suas características próprias, por isso não existe uma resposta única para essa análise.Na compra através do financiamento você precisa ter no mínimo 20% do valor do imóvel como forma de entrada para acessar o crédito.

  3. Comprar um imóvel na planta: comprar um imóvel na planta é comprar uma promessa, e não um imóvel. Claro que existem documentos que garantem o negócio e vários meios jurídicos para resolver um possível litígio caso o imóvel nãos seja construído, mas é importante você saber que não vai morar nesse imóvel enquanto ele não estiver pronto e licenciado pelos órgãos competentes para que você possa morar nele. Quando você compra um imóvel na planta através de um financiamento você pode parcelar a entrada, que varia entre 20% e 30%. Porém você só terá direito a usufruir do seu imóvel após quitar todos os débitos com a empresa responsável pela construção do imóvel (a entrada parcelada), quando aí então você partirá para o financiamento. Se você opta por um imóvel na planta, precisa ainda levar em consideração os custos de acabamento do imóvel, na maioria das vezes o imóvel precisa de muitos itens básicos que não são incorporados na construção.

  4. Consórcio: confesso que senti um pouco de resistência em incluir esse item na lista, pois essa modalidade traz custos altos para quem opta por ela. É necessário entender que consórcio é para quem pode esperar para comprar o imóvel, e por isso mesmo eu te pergunto antecipadamente: se você pode esperar, por que não investir esse dinheiro para comprar o seu imóvel à vista? Bom, vamos aos fatos. O consórcio é uma reunião de um grupo de pessoas que "dividem o valor do bem" para que, aos poucos, cada membro do grupo possa adquirir o seu bem com o dinheiro "coletivo". Então, você precisa ser o sortudo da vez para ser contemplado com a sua carta de crédito. Esses grupos costumam ser bem grandes, o que diminui as suas chances de ser sorteado. Se você tiver dinheiro disponível, pode pagar um "pedágio e furar a fila", dando um lance pela carta de crédito da vez. Esse tópico merece um texto inteiro só para ele, se você quiser saber mais, me pede que eu faço.

Em quaisquer uma das modalidades financiadas o imóvel não pertence a você até que você termine de pagar.


Isso porque os financiamentos imobiliários tem o imóvel como garantia. O que quer dizer que se você perde a capacidade de pagar o imóvel, você pode perder o imóvel.

Essa decisão deve estar alinhada com a sua capacidade de pagamento sem comprometimento de outros objetivos importantes da sua vida. Cada família tem uma característica financeira própria e elementos únicos que devem ser considerados no planejamento financeiro para realizar esse sonho. Conte com um planejador financeiro para te ajudar a tomar essa decisão.

30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo