Buscar
  • Clay Gonçalves

Dica de economia: faça portabilidade de seu financiamento imobiliário

Se você tem um imóvel com taxas de juros acima de 8% ao ano, saiba que você pode estar perdendo uma ótima oportunidade de economizar muito dinheiro com o seu financiamento imobiliário.



De maneira simplificada, quando você compra um imóvel através de um financiamento imobiliário, o que você está fazendo é "alugando" o dinheiro com o banco, e o valor deste aluguel são os juros que o banco te cobra. O percentual representado por esses juros é baseado na taxa Selic, a taxa básica de juros da economia. Mas perceba que, à revelia da indignação de muitos brasileiros, as taxas de financiamento nunca serão iguais à taxa de juros, afinal de contas, o negócio de um banco é emprestar dinheiro, e se ele praticar a mesma taxa na qual a economia do país se apoia, ele não estaria gerando lucro. Imagine que você compre um determinado produto para revender e paga R$5,00 para obtê-lo. Você revenderia pelos mesmos R$5,00? Acredito que não.

Há cerca de 5 anos, em 2016, essa taxa de juros ainda seguia em patamares altos, 14% ao ano. A partir da metade do ano de 2017 a taxa Selic começou a sofrer sucessivos cortes, chegando a 6,5% em 2018. Ainda assim era possível encontrar financiamentos imobiliários com taxas de juros que estavam em cerca de 11% ao ano. Hoje, em 2021, a taxa de juros está a 2% ao ano. Essa drástica diminuição da taxa Selic gerou um movimento coletivo nos bancos de diminuição de taxas de juros para os financiamentos, o que é uma ótima notícia para quem financiou um imóvel antes disso.

Veja a economia atingida neste caso real apresentado abaixo:



É uma economia de R$384.441,20, 55%!

Não há dúvidas de que essa economia pode fazer grande diferença nas suas finanças, mas como fazer a portabilidade do financiamento?

É importante ressaltar que, embora haja uma economia expressiva nesse movimento, existem alguns custos que devem ser levados em consideração na hora de decidir por uma portabilidade.

A primeira coisa que você deve fazer para minimizar estes impactos financeiros é uma negociação com o banco onde o seu crédito foi concedido incialmente. Embora não haja nenhuma obrigatoriedade por parte do banco em diminuir a taxa contratada, ele pode ser flexível a ponto de aceitar uma negociação. Caso a negociação não seja viável, aí sim é a hora de buscar alternativas.

Faça uma pesquisa de todas as condições de portabilidade e as taxas de juros oferecidas por outras instituições para encontrar a melhor oferta e esteja preparado para alguns desembolsos que são comuns para qualquer portabilidade:


  1. Tarifa de avaliação do imóvel: em um financiamento imobiliário, o imóvel é a garantia do empréstimo, por isso os bancos fazem uma avaliação para se certificarem de que o imóvel vale mesmo o preço que está atrelado ao crédito. O custo médio é de R$3.000.

  2. Custos cartoriais: ao fazer a portabilidade do financiamento, é necessário também fazer atualização do registro do imóvel. Este custo pode variar de acordo com a região, mas ele sempre é baseado no valor financiado. No exemplo dado, o imóvel está na região central de SP e o valor desses custos foi de aproximadamente R$800.

Existem empresas especializadas em realizar este serviço para os seus clientes, já que todo esse processo demanda tempo e dedicação. Embora a tarefa exija disposição e muitas ligações e trocas de e-mail, a economia é importante. Caso você opte por procurar uma dessas empresas, faça as contas e verifique se o custo compensa. Lembre-se que é perfeitamente viável fazer isso sozinho.

Aproveite a economia e invista no seu futuro!

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo